Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2006

Regulamento da Biblioteca.

Escola EB 2,3 Prof. Dr. C. Mota Pinto Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Regulamento A Biblioteca Escolar, enquanto motor de inovação, de dinamização cultural e Centro de Recursos de toda a Comunidade Educativa, assume-se como foco de informação e de aprendizagem, de cultura, de animação e de lazer, em sintonia com as grandes linhas de actuação do Projecto Educativo deste Agrupamento. Conscientes da complexidade e da transversalidade de competências que uma Biblioteca escolar potencia, torna-se necessário estabelecer as suas regras de funcionamento e assegurar a sua funcionalidade, em prol do desenvolvimento da sua acção nos domínios da promoção sócio-cultural, da aprendizagem e da informação. Em sintonia com as suas grandes linhas de acção, elaborou-se o presente regulamento com o intuito de assegurar o cabal desenvolvimento dos seus princípios, tendo em conta as normas reguladoras, a rentabilização dos recursos físicos, materiais e humanos e ainda a eficácia da sua gestão. 1. Princípios Tendo por base os objectivos traçados no seu Projecto, bem como os objectivos estabelecidos pelo Programa da Rede de Bibliotecas Escolares, esta Biblioteca rege-se, fundamentalmente, pelos seguintes princípios: • Constituir a Biblioteca como verdadeira fonte de recursos educativos de toda a comunidade educativa; • Tornar possível a plena utilização dos recursos pedagógicos existentes e dotar a escola de um fundo documental adequado às necessidades das diferentes disciplinas e projectos de trabalho; • Alargar o âmbito de funcionalidade da BE/Centro de recursos às escolas que integram o Agrupamento, bem como à Comunidade local, uma vez que o enriquecimento sócio-cultural dos habitantes deste meio significa, a médio e a longo prazo um investimento na promoção da literacia; • Apoiar iniciativas de desenvolvimento e consolidação do Património cultural local. • Desenvolver nos alunos competências e hábitos de trabalho baseados na consulta, na investigação, no tratamento e na produção de informação, tais como: seleccionar, analisar, criticar e utilizar documentos; desenvolver um trabalho de pesquisa ou estudo, individualmente ou em grupo; produzir sínteses informativas em diferentes suportes; • Estimular e fomentar nos alunos e, na comunidade em geral, o gosto pela leitura e pela escrita; 2 – Condições gerais de acesso a) O acesso à BE/CRE é facultado a toda a Comunidade Educativa nos seguintes termos: • Os alunos dos Jardins de Infância e 1º CEB têm acesso à BE/CRE, desde que sejam acompanhados por um educador/professor/encarregado de educação responsável; • Os alunos da Escola EB 2,3 de Lajeosa do Dão, bem como os professores e funcionários de todo o Agrupamento têm livre acesso à BE/CRE; • Os elementos da Comunidade Educativa e outros não especificados nos pontos anteriores têm livre acesso à BE/CRE, desde que previamente autorizados pelo Conselho Executivo. b) O acesso à BE/CRE é facultado pela obtenção de um cartão de leitor a ser fornecido pela BE/CRE, mediante solicitação do utente; c) O cartão de leitor é revalidado anualmente, reservando-se a BE/CRE o direito de o não fazer, sempre que o respectivo titular não tenha respeitado o regulamento em vigor. 3 – Normas Gerais a) A BE/CRE funciona de acordo com o seguinte horário: • 2ª, 3ª, 5ª e 6ª feiras – das 8h30m até às 17h • Quartas-feiras – das 8h 30m até às 13h. • A requisição de obras domiciliárias deverá ser feita até às 16h 45m. b) Não é permitido aos leitores a entrada na BE/CRE com: • Revistas e dispositivos de armazenamento de dados que possam propagar vírus informáticos (disquetes e CD ROM); c) Não é permitida a entrada na BE/CRE com alimentos e bebidas; d) Os sacos, pastas, malas e guarda-chuvas devem ser depositados num armário colocado à entrada da porta; e) Durante a permanência na BE/CRE deverá ser observado o máximo de silêncio, de modo a não prejudicar o trabalho dos outros utilizadores; f) Dentro da BE/CRE é proibido o uso de bonés, telemóveis e outros dispositivos que perturbem o seu normal funcionamento; g) É proibido comer, beber, fumar ou utilizar qualquer produto que possa danificar o respectivo equipamento (colas, tintas, vernizes, chicletes, x-actos, etc…); h) Os utentes devem manusear com o maior cuidado os documentos, assim como preservar e conservar em bom estado os livros requisitados; i) A utilização de BE/CRE para aulas de consulta e manuseamento de documentação carece de uma requisição prévia, por parte do respectivo professor, com a antecedência de, pelo menos, três dias; j) O visionamento de CD ROM ou DVD pessoais só será permitido mediante pedido e apresentação antecipada (um dia de antecedência) ao funcionário da BE; k) A permanência nas instalações da BE/CRE só é permitida enquanto houver lugares disponíveis. l) Sempre que possível, a fotocópia de documentos deverá ser feita nos serviços de Reprografia, com a supervisão de um elemento da equipa da BE; m) A cópia ou a impressão de trabalhos na própria BE ficará sempre sujeita à supervisão prévia dos elementos responsáveis pela BE/CRE e ao pagamento de uma taxa na Papelaria da escola e à apresentação da respectiva senha de pagamento ou mediante a apresentação de cartão de crédito de fotocópias; 5 – Espaços A BE/CRE encontra-se dividida nos seguintes espaços: 1 – Zona de acolhimento (atendimento, requisições e devoluções); 2 – Zona de leitura informal; 3 – Zona de consulta de documentação; 4 – Zona de leitura vídeo; 5 – Zona de leitura e produção multimédia; 6 - Zona de jogos didácticos; 7 – Espaço do conto 5.1 – Documentos de livre acesso São considerados documentos de livre acesso as monografias, os manuais escolares, as obras de referência e as publicações periódicas que se encontram arrumadas nas respectivas estantes. a) O utente pode retirar da estante os documentos, manuseá-los e proceder à sua leitura. b) No final da consulta, o leitor deverá colocar a obra em local designado para o efeito. 5.2 - Documentos/materiais de acesso condicionado e controlado Os materiais de áudio e vídeo, CD’s, diapositivos, Internet e software educativo têm o acesso condicionado e controlado. 5.2.1 - Material áudio, vídeo DVD e CD ROM a) Os invólucros respeitantes ao material áudio, vídeo e CD’s encontram-se expostos em estante própria. b) Os utentes interessados no manuseamento/visionamento/audição destes materiais deverão escolher o respectivo invólucro, solicitar à bibliotecária o produto correspondente e fazer a sua requisição em livros próprios. c) As cassetes áudio e vídeo, bem como os CD ROM não são susceptíveis de empréstimo domiciliário; d) A leitura de material áudio e vídeo só pode ser feita mediante a utilização de auscultadores; e) Finda a sua utilização, o material áudio e vídeo deve ser rebobinado e entregue à bibliotecária, bem como os respectivos auscultadores. f) O comando das respectivas aparelhagens só deve ser usado para controlar o volume do som, rebobinar as cassetes e desligar a aparelhagem. 5.2.2 – Equipamento informático a) Para utilizar os equipamentos informáticos, os alunos devem ter autorização prévia da equipa responsável da BE/CRE. Exceptuam-se situações de aula, com a permanência do respectivo professor; b) O equipamento multimédia é prioritariamente para fins escolares; c) A instalação de software ou a alteração de definições e configurações do equipamento existente, só poderá ser efectuada mediante pedido de autorização prévio à equipa responsável pela BE/CRE; d) Sempre que existam outros utentes que necessitem de utilizar o mesmo equipamento, o período máximo de utilização será de quarenta e cinco minutos; e) Apenas é permitida a permanência de duas pessoas junto de cada computador. Exceptuam-se situações de aula, com a permanência do respectivo professor; f) A utilização de disquetes e CD’s exteriores à escola está sempre sujeita à supervisão prévia da equipa responsável; g) Não é permitido o uso de computadores para a prática de actos ilegais e visualização de conteúdos menos próprios, bem como a utilização de Chat’s para fins pessoais e a prática de jogos considerados agressivos e anti-pedagógicos; h) A utilização de material multimédia por parte dos utentes, carece de uma requisição prévia onde conste o nome do utilizador, o número do computador a requisitar, a hora e o tipo de trabalho a efectuar e a temática a explorar; i) Na utilização dos computadores, têm prioridade os alunos que pretenderem realizar trabalhos escritos e/ou trabalhos de pesquisa; j) Todos os utentes da zona funcional: leitura e produção multimédia têm a obrigação de zelar pelo bom funcionamento e conservação da mesma; 6 – Leitura domiciliária a) Os livros podem ser levados para casa, mediante a apresentação do cartão de leitor (a adquirir na BE) e depois do preenchimento da respectiva requisição; b) Os livros requisitados para leitura domiciliária têm um prazo máximo de entrega de cinco dias úteis, exceptuando-se os alunos dos Jardins de Infância e 1º Ciclo, cuja duração não poderá exceder os dez dias úteis; c) O extravio ou danificação de documentos emprestados implica, por parte dos utentes, a sua substituição ou o pagamento de valor correspondente ao seu custo; d) Findo o prazo estabelecido, caso não se verifique a devolução, solicita-se aos utentes a reposição da obra em causa, podendo ser-lhes retirado o privilégio da leitura; e) No caso de necessidade, o requisitante pode pedir o prolongamento da permanência da obra, mediante o preenchimento de uma nova requisição; f) Não é permitido o empréstimo domiciliário das seguintes obras: dicionários, enciclopédias, DVD’s, CD ROM, vídeos e periódicos. Exceptuam-se os empréstimos domiciliários a pessoal docente, com vista à preparação e planificação de aulas, por um período de 24 horas; g) Os documentos em que, pela sua actualidade, se considere importante a sua disponibilidade para consulta na BE, poderão ser pontualmente excluídos do empréstimo domiciliário. 7 - Obras vedadas à leitura domiciliária Encontram-se vedadas à leitura domiciliária as seguintes obras: Enciclopédias, Dicionários, DVD’s, CD ROM, Revistas, Vídeos. Escola EB 2,3 de Lajeosa do Dão, 26 de Outubro de 2005. A Coordenadora (Lúcia Maria Pereira de Sousa e Almeida)

publicado por asnossasvozes às 17:05
link do post | comentar | favorito

.Gostar da Página




.Blog do Ano 2011

3º Lugar Escolares e Jornais de Escolas


3º Lugar no Centenário da República

.pesquisar

 

.DOCUMENTAÇÃO no SCRIB

.Visitas

.últ. comentários

Para quem pretende aprender Norueguês em casa, atr...
Que lindo acróstico,ficou maravilhoso!!
Quadras bem bonitas e encantadoras,gostei imenso d...
exelente slites

.tags

. 1 prémios da escola(18)

. 1º ciclo(79)

. artigo de opinião(5)

. biblioteca(59)

. cef-2009/2011(5)

. centenário da república(12)

. dep. expressões(21)

. dep. línguas(15)

. dep. mce(35)

. dep.chs(7)

. desporto escolar(54)

. documento estudo educação fisica(1)

. eb123motapinto 2013.14(77)

. eb123motapinto 2014.15(3)

. eb2-3mota pinto.05/06(30)

. eb2-3mota pinto.06/07(49)

. eb2-3mota pinto.07/08(49)

. eb2-3motapinto.2008/09(82)

. eb2-3motapinto.2009/10(106)

. eb2-3motapinto.2010/11(144)

. eb2-3motapinto.2011/12(116)

. eb2-3motapinto.2012.2013(75)

. ed. especial(3)

. informações gerais(9)

. legislação(10)

. pré-escolar(59)

. redes sociais(10)

. trabalhos de alunos(17)

. todas as tags

.links

.SeguraNet

SeguraNet

.posts recentes

. Tudo tem um fim..ficam as...

. Receção aos Alunos e Enca...

. AETCF Deseja a todos Boas...

. Almoço/Convívio Agr. Esco...

. Média de positivas nos ex...

. Grelha dos Professores em...

. Afixação das Pautas - 5º,...

. Entrega da avaliação de f...

. “Encontro Interescolar do...

. Viagem pelo Douro dos Pro...

. Salas de Estudo para os E...

. Caminhada Solidária 2014

. Cerimónia de entrega dos ...

. Dia Mundial do Ambiente 2...

. Concursos & Passatempos d...

.mais comentados

.Pots visuais

Blog Widget by LinkWithin

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.arquivos

blogs SAPO

.subscrever feeds